Segurança de juízes: Câmara aprova projeto de iniciativa da Ajufe

    imagem_plenario_camara_17_12_09

    Os deputados aprovaram na noite dessa quarta-feira (16) o projeto de lei (PL nº 2057/2007) que trata da segurança dos juízes e que foi apresentado pela Ajufe à Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados na gestão Walter Nunes. Não foi possível aprovar duas emendas de plenário como pretendia a Associação, por isso a estratégia agora será aprová-las no Senado Federal, para onde o projeto seguirá.

    A primeira emenda é para esclarecer que a proteção do magistrado ocorrerá mesmo após sua aposentadoria e a segunda estabelece a possibilidade de proteção pelos órgãos de segurança do Poder Executivo: Polícias Federal, Civil e Militar (estas no caso de proteção de juízes estaduais).

    O projeto faz parte do II Pacto Republicano de Estado por um Sistema de Justiça mais Acessível, Ágil e Efetivo, de cujo comitê intergovernamental a Ajufe faz parte. Após a aprovação do projeto, o presidente da Ajufe, Fernando Mattos, destacou o empenho do deputado Flávio Dino (PC do B-MA) para o êxito da proposta. Dino, ex-presidente da Ajufe, foi o relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça.

    O projeto prevê a possibilidade de julgamento colegiado, em primeiro grau de jurisdição, de crimes praticados por grupos criminosos organizados, em substituição à atuação do juiz de forma individual. Segundo a Ajufe, não há qualquer norma constitucional que, sequer implicitamente, reserve ao juiz monocrático o exercício da jurisdição em primeiro grau.

    Prova disso é que os artigos 106 e 109 da Constituição Federal referem-se aos “juízes federais”, no plural. Além disso, não representa qualquer violação do direito individual do acusado ou condenado. Muito pelo contrário, nesse aspecto, o julgamento do crime por um colegiado representará, para o acusado, uma garantia adicional, na medida em haverá menos risco de erro judicial.

    Outro benefício da medida é que ela reduz a personificação do processo, o risco de pressões ou retaliações contra o juiz individual. A formação do colegiado será uma faculdade do juiz do processo, prerrogativa que, em nossa visão, reduzirá a força de eventuais objeções à proposta.

    O projeto prevê a adoção de medidas processuais pontuais em relação ao crime organizado. Para a Comissão de Segurança de Magistrados da Ajufe, a segurança do juiz está diretamente relacionada com sua possibilidade de tomar medidas eficazes contra o crime organizado, sob pena de, sem o desmantelamento ou enfraquecimento de organizações criminosas, permanecer sempre sujeito a pressões ou retaliações.

    Por isso, o projeto propõe a adoção da tendência internacional no campo de combate aos crimes de lavagem e organizado, e mesmo do crime em geral, no sentido da value confiscation em oposição à object confiscation. Em outras palavras, diante da dificuldade em rastrear o produto do crime, admite-se, casos esses não sejam mais encontrados ou não sejam rastreáveis, a perda de bens ou valores equivalentes.

    Um dos dispositivos do PL propõe a elevação da pena de reclusão para o crime de quadrilha ou bando (artigo 288 do Código Penal), atualmente fixada em três anos, para de três a 12 anos. Outro artigo estabelece presunção razoável de que os bens ou valores adquiridos durante a participação no grupo criminoso organizado sejam produto ou proveito de crimes, sem ferir o princípio da presunção da inocência, na medida em que não se trata do juízo de responsabilidade criminal do acusado.

    Texto: Virginia Pardal - Foto: Divulgação

    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00
    TV Diário
    Terça-Feira às 00h45

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Informativo Ajufe
    Setembro de 2017

    Nesta edição, os 45 anos de fundação da Associação são homenageados. Além disso, o informativo traz também as últimas atividades realizadas pela Ajufe em 2017.

    Revista Direito Federal
    Revista de Direito Federal nº 96

    Nesta 96ª edição, a Revista Direito Federal disponibiliza os trabalhos individualmente, por autor. 

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 11

    Juízes federais que escrevem além das sentenças: em verso, rima, ritmo e métrica.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org