Justiça Federal manda nomear dois defensores da União em Dourados (MS)

    A Justiça Federal concedeu liminar, em atendimento a pedido do Ministério Público Federal (MPF) determinando a reserva de duas vagas de defensor público para a criação do Núcleo da Defensoria Pública da União (DPU) no município de Dourados (MS), que atende a 30 cidades da região. A decisão do juiz Márcio Cristiano Ebert, associado à Ajufe, cita, além da garantia constitucional de assistência judiciária integral e gratuita, as características da região e a demanda de trabalho exigem a instalação de unidade da Defensoria com quadro mínimo de dois defensores.

    "Dourados está localizada em região de fronteira, com elevado índice de criminalidade transfronteiriça, e, por isso, com grande fluxo de processos criminais da competência da Justiça Federal. Não bastasse a demanda criminal, a região conta com um dos maiores agrupamentos indígenas do Brasil, com cerca de vinte mil indivíduos", escreveu o juiz Márcio Cristiano Ebert.

    O juiz critica, em seu despacho, a previsão de que uma das vagas originalmente previstas para Dourados ter sido remanejada para Campo Grande. "Um dos fundamentos da criação da defensoria em Dourados é 'a necessidade de ampliar a atuação da Defensoria Pública da União no interior dos Estados'. Ora, não há como ampliar a atuação da DPU no interior por meio da redistribuição de vaga de unidade interiorana justamente para a Capital", afirma.

    Para o Ministério Público Federal, a lotação de apenas um cargo de defensor público para Dourados não atende às necessidades mínimas da população, o que acarretará uma atuação de baixa qualidade e ineficiente. O caráter de urgência da decisão se deve à possibilidade de nomeação imediata dos aprovados no concurso em andamento.

    O caso

    Em 2007, o MPF instaurou procedimento administrativo para verificar a falta de assistência judiciária na região nos casos envolvendo a União. Em resposta a ofício encaminhado pelo Ministério Público, a DPU informou a existência de projeto de instalação de uma unidade em Dourados, com a atuação de dois membros. Contudo, portaria publicada em abril de 2010, redefiniu a lotação, disponibilizando uma das vagas de Dourados para Campo Grande.

    Na ação civil pública, o MPF solicitou a manutenção da previsão de nomeação dos dois defensores público para Dourados justificando que, além da incontestável necessidade de assistência aos moradores região, a portaria que modificou a lotação dos defensores públicos no Estado é ilegal.

    Texto: Tinna Evangelista, com informações do site Campo Grande News
    Revisão: Virginia Pardal
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00
    TV Diário
    Terça-Feira às 00h45

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Informativo Ajufe
    Setembro de 2017

    Nesta edição, os 45 anos de fundação da Associação são homenageados. Além disso, o informativo traz também as últimas atividades realizadas pela Ajufe em 2017.

    Revista Direito Federal
    Revista de Direito Federal nº 96

    Nesta 96ª edição, a Revista Direito Federal disponibiliza os trabalhos individualmente, por autor. 

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 11

    Juízes federais que escrevem além das sentenças: em verso, rima, ritmo e métrica.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org