Revisão de aposentadoria só na Justiça Federal

    A decisão do Supremo Federal Tribunal (STF), do início de setembro, que abriu precedente para que todos que se aposentaram pelo teto, antes de 2003, possam revisar o valor de suas aposentadorias pagas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), não é automática e vai demandar que cada aposentado, individualmente, recorra à Justiça Federal para obter o benefício. Mas especialistas sugerem que não se entre com a ação imediatamente, já que existe a possibilidade de medida administrativa beneficiar a todos que se enquadrem na revisão.

    Em 2003, o teto da aposentadoria foi ampliado de R$ 1.869 para R$ 2.400, por meio da Emenda Constitucional 41/03, mas não foi aplicado para quem se aposentou anteriormente. Pelos cálculos do próprio INSS, 154 mil beneficiários se enquadram nesse critério. O impacto projetado para as contas do INSS, caso todos os benefícios fossem revistos, seria de R$ 1,5 bilhão.

    O autor da ação, que criou jurisprudência favorável aos beneficiários, requereu aposentadoria por tempo de serviço proporcional em 1995. O INSS fez o cálculo do seu benefício e aplicou o limitador vigente à época, que era de R$ 1.081,50. Com a Emenda Constitucional 20/98, o teto dos benefícios previdenciários foi ampliado para R$ 1.200,00. O autor pediu a revisão do benefício para que fosse aplicado o novo teto.

    O INSS alegou que a concessão de aposentadoria é um ato jurídico perfeito. Por isso, a norma não poderia retroagir para alterar a situação. Em seu voto, no entanto, a relatora, ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, do STF, destacou que, se o limite foi alterado, deve ser aplicado ao valor inicialmente calculado.

    O ministro Gilmar Mendes concordou com a relatora, destacando que não se trata de reajuste, mas de uma readequação ao novo limite. Ainda de acordo com Gilmar Mendes, o mesmo entendimento deve ser aplicado no caso da Emenda Constitucional 41/03, que elevou novamente o teto dos benefícios para R$ 2.400,00, o que abre precedente para que todos aqueles que se aposentaram pelo teto, antes de 2003, peçam revisão. Desde então, o teto vem sendo elevado apenas por meio dos reajustes anuais. O acórdão da decisão ainda não foi publicado.

    Como o julgamento do STF trata de um caso individual, cada beneficiário deverá pedir a revisão do seu benefício na Justiça Federal. Segundo a advogada especializada em direito previdenciário, Marisa Campos, além da revisão do valor, os aposentados podem solicitar também o pagamento retroativo das diferenças, com juros e correção monetária, dos últimos cinco anos.

    Fonte: Jornal Hoje em Dias (Belo Horizonte-MG)

    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00
    TV Diário
    Terça-Feira às 00h45

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Informativo Ajufe
    Setembro de 2017

    Nesta edição, os 45 anos de fundação da Associação são homenageados. Além disso, o informativo traz também as últimas atividades realizadas pela Ajufe em 2017.

    Revista Direito Federal
    Revista de Direito Federal nº 96

    Nesta 96ª edição, a Revista Direito Federal disponibiliza os trabalhos individualmente, por autor. 

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 11

    Juízes federais que escrevem além das sentenças: em verso, rima, ritmo e métrica.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org