Justiça determina saída de Brasiguaios da margem da BR-163

    As mais de 600 famílias de sem-terra, que ocupam os espaços laterais entre os quilômetros 91 e 92 da BR-163, terão que se mudar. É uma imposição da Justiça Federal e uma determinação do juiz Joaquim Eurípedes Alves Pinto. Ele atende ao pedido do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit), que está ampliando a largura da rodovia. O prazo dado é de 30 dias e termina no dia 18 de novembro. O prazo foi estipulado em audiência de conciliação realizada recentemente, em Naviraí.

    Os brasiguaios (colonos brasileiros expulsos de terras paraguaias) ligados ao Movimento dos Sem-Terra (MST), deverão desmontar o campamento Antônio Irmão e deverão ser transferidos para uma área de cerca de dez hectares, próximo a um posto de saúde. Lá eles receberão condições de continuar educando seus filhos em escola, com o reconhecimento oficial.

    Os sem-terra devem ser fixados em caráter ainda provisório, no lote 578 do complexo de quatro proejetos de assentamentos da antiga fazenda Santo Antônio. O Incra está cadastrando as famílias do acampamento Antônio Irmão e já procura uma área para fazer o assentamento definitivo dos brasiguaios , pois a área escolhida faz parte do complexo de quatro assentamentos do complexo Santo Antônio e eles estarão lá em condição provisória.

    Liderança do MST em Mato Grosso do Sul, Egídio Brunetto criticou a decisão da Justiça. A forma é truculenta. Eles estão somente às margens da rodovia , afirmou.

    Uma verdadeira cidade foi erguida às margens da BR-163. Fugitivos da violência no Paraguai, centenas de famílias moram debaixo de lonas em situações precárias e se tornaram um problema para Itaquiraí, que tem 17 mil habitantes e estrutura limitada.

    Na reunião presidida pelo juiz federal Joaquim Alves Pinto, em Naviraí, ficou pactuado e determinado que o Departamento Nacional de Infra-Estrutura e Trânsito (Dnit) será responsável pelo transporte da mudança de pessoas e seus pertences.

    A Ouvidoria Agrária Federal ligada ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) deve fazer a doação das lonas (com metragem a ser caculada), o MST autoriza o Incra a fazer o cadastramento das famílias para ser estabelecida a quantidade de cestas básicas a ser distribuidas mensalmente (através do programa Fome Zero), a escola de primeiro ao quinto ano deve ser garantida pela Prefeitura de Itaquiraí, o governo federal deve dar condições para que o posto de saúde que serve quatro assentamentos rurais possa ter ampliado o número de equipamentos, remédios e atendentes no Posto de Saúde, e governo estadual deve ser responsável pela implantação dos programas e ações preventivas de saúde.

    Fonte: Midiamax News

    Siga-nos no Twitter: http://twitter.com/AJUFE_Brasil

    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00
    TV Diário
    Terça-Feira às 00h45

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Informativo Ajufe
    Setembro de 2017

    Nesta edição, os 45 anos de fundação da Associação são homenageados. Além disso, o informativo traz também as últimas atividades realizadas pela Ajufe em 2017.

    Revista Direito Federal
    Revista de Direito Federal nº 96

    Nesta 96ª edição, a Revista Direito Federal disponibiliza os trabalhos individualmente, por autor. 

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 11

    Juízes federais que escrevem além das sentenças: em verso, rima, ritmo e métrica.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org