Grupo de trabalho da Justiça Federal: Congonhas poderá abrir 1h mais tarde

    Após quatro meses de discussões, o grupo de trabalho criado pela Justiça Federal para buscar um acordo para o funcionamento do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, chega dividido hoje à última reunião. O ponto central da discórdia é o horário de funcionamento. Embora as associações de moradores já admitam abrir mão de reivindicações em troca de uma hora a mais de sossego, companhias aéreas e autoridades do setor relutam em perder espaço.

    A proposta que desponta como mais "factível" na avaliação de integrantes do grupo ouvidos pelo Estado seria retardar em uma hora a abertura do terminal. Hoje, Congonhas opera das 6 horas às 23 horas. A ideia é que passe a funcionar das 7 horas às 23 horas, o que garantiria 8 horas de descanso aos vizinhos.
    Se houver consenso, as partes - associações de moradores, Anac, Infraero, Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) - devem sair da reunião de hoje com um minuta do acordo, para que seja homologado pelo juiz em audiência marcada para terça-feira. Caso contrário, haveria duas opções: estabelecer novo prazo para os debates ou levar adiante as ações judiciais sobre o assunto.

    Na última reunião do grupo, realizada no dia 8, representantes das associações de moradores reclamaram que a passagem dos aviões logo cedo interfere no sono. Na ocasião, o engenheiro Jules Slama, professor de engenharia mecânica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que assessora na medição do ruído de Congonhas, afirmou que a queixa era pertinente. Segundo ele, o horário entre 6 horas e 7 horas ainda é considerado noturno e, portanto, ruídos altos podem interferir no sono.

    Seria simples resolver o problema se o horário não fosse um dos mais concorridos entre passageiros que chegam a São Paulo ou partem da cidade, a maioria para compromissos profissionais. É por isso que as empresas resistem a mudanças. Abrir mão de uma hora de operação representaria para elas perda de até 34 movimentos (pousos ou decolagens) no aeroporto comercialmente mais cobiçado do País.

    A criação do grupo de trabalho foi uma iniciativa do juiz federal Paulo Cezar Neves Júnior, da 2.ª Vara Federal Cível. O objetivo era reunir as partes para que chegassem a um consenso sobre como o aeroporto poderia operar sem provocar tantos desconfortos para seus vizinhos.

    Três pontos deveriam ser debatidos, todos objetos de ações civis movidas por associações de moradores: o barulho causado por testes de motores dos aviões, mudança de normas de voo e medição do ruído nas cercanias do aeroporto e o horário de funcionamento do terminal.

    O único consenso, por enquanto, é em relação ao horário das checagens de motores. Desde janeiro, a Infraero restringe o teste das 9 horas às 17 horas.

    A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente defende os cem pontos aprovados pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente no licenciamento ambiental de Congonhas - entre eles, a mudança do horário para o período das 7 horas às 22 horas. Mas diz estar "aberta a buscar solução intermediária" desde que os moradores concordem.

    CRONOLOGIA
    O "aeródromo" chega ao limite
    1936
    Inauguração
    A Companhia Paulista de Santo Amaro inaugura o Aeródromo de Congonhas. A Vila de Congonhas só era acessível por meio de uma via particular pedagiada.
    1976
    Horário
    Na década de 1970, bairros populosos surgem na região. Em 1976, o aeroporto passa a operar das 6h às 23h, para não incomodar os vizinhos.
    1986
    Guarulhos
    É inaugurado o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Em Congonhas, movimento de passageiros e de aviões cai 50% e 30%.
    1996
    Acidente
    Fokker 100 da TAM cai 65 segundos após decolar de Congonhas rumo ao Rio.
    2002 A 2007
    Operações
    São feitas, em média, 48 operações por hora em Congonhas, que recebe quase 16 milhões de passageiros por ano. O limite é de 12 milhões.
    2007
    Airbus
    Um Airbus da TAM sai da pista e se choca contra um prédio, matando 199 pessoas. São Paulo passa por uma reorganização do sistema aéreo. O número de pousos e decolagens em Congonhas, que antes da tragédia chegava a 44 por hora, passa para 30.
    2010
    Barulho
    A Justiça determina a criação de um grupo de trabalho que busque um acordo sobre o horário de funcionamento. Deputados estaduais também pedem uma definição.

    Fonte: O Estado de S.Paulo
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00
    TV Diário
    Terça-Feira às 00h45

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Informativo Ajufe
    Setembro de 2017

    Nesta edição, os 45 anos de fundação da Associação são homenageados. Além disso, o informativo traz também as últimas atividades realizadas pela Ajufe em 2017.

    Revista Direito Federal
    Revista de Direito Federal nº 96

    Nesta 96ª edição, a Revista Direito Federal disponibiliza os trabalhos individualmente, por autor. 

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 11

    Juízes federais que escrevem além das sentenças: em verso, rima, ritmo e métrica.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org