Ex-chefe do Porto de Paranaguá é solto após pagar fiança de R$ 200 mil

    Após 16 dias preso, o ex-superintendente do Porto de Paranaguá Daniel Lúcio Oliveira de Souza deixou no dia 4 de dezembro, o Centro de Triagem (CT) 2, em Piraquara (região metropolitana de Curitiba), por volta das 19h30. Ele é investigado pela Polícia Federal por formação de quadrilha, corrupção e fraude em licitação. Na tarde de ontem, a família do ex-superintendente realizou um depósito de R$ 200 mil em dinheiro em uma conta judicial, referente à fiança determinada pela Justiça e o juiz federal de Paranaguá Marcos Josegrei da Silva decretou a liberdade de Daniel Lúcio. Ele era o único que permanecia preso entre os dez detidos pela Operação Dallas da PF, deflagrada em 19 de janeiro e que investiga irregularidades no porto.

    O ex-superintendente deixou o CT 2 acompanhado pelos advogados e pelo filho. De dentro do carro, ele fez um sinal de vitória com os dedos. Daniel Lúcio foi preso em um hotel no Rio de Janeiro e com ele os policiais federais apreenderam R$ 65 mil em dinheiro escondidos em um fundo falso de um guarda-roupa, além de uma duplicata de R$ 800 mil.

    A fiança de R$ 200 mil foi a garantia exigida pela juíza substituta do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4.ª Região, em Porto Alegre, Salise Monteiro, para conceder o habeas corpus ao ex-superintendente. O documento foi expedido pela magistrada na última terça-feira, mas somente ontem a família conseguiu apresentar o montante. Foi a quarta tentativa de oferecer o valor à Justiça.

    Inicialmente, a família de Daniel Lúcio apresentou uma casa no litoral de propriedade da empresa Ecoport, supostamente comandada por Daniel Lúcio de acordo com a investigação da PF. Por duas vezes, o juiz de Paranaguá não aceitou a casa por acreditar que ela não dava certeza da garantia. Os advogados dele chegaram a recorrer ao TRF, mas sem sucesso.

    Depois das recusas, a família optou então em oferecer o valor em dinheiro, segundo o advogado de Daniel Lúcio, Sylvio Lourenço da Silveira Filho. Lourenço disse que vai esperar a conclusão da investigação para decidir como serão rebatidas as acusações da PF.

    Dallas

    O delegado da PF em Paranaguá responsável pelas investigações da operação Dallas, Sérgio Stinglin de Oliveira, informou que os policiais continuam catalogando e analisando os documentos e computadores recolhidos há duas semanas. Ele afirmou que o mais provável é que os envolvidos sejam chamados a depor somente após o dia 14 de fevereiro. A estratégia é fazer a análise para depois fazer as oitivas e confrontar os documentos com o que as pessoas vão falar , explicou.

    Ao todo, a operação Dallas investiga quatro casos, três deles envolvendo o ex-superintendente e fraudes em licitações. Uma das acusações da PF contra Daniel Lúcio é a de que ele participava de uma esquema para desviar cerca de R$ 11 milhões da compra de uma draga de fabricação chinesa para o Porto de Paranaguá. O negócio não foi concretizado porque a Justiça cancelou a licitação. O quarto caso investigado envolve um suposto desvio de grãos, como soja e açúcar, no terminal da Companhia Brasileira de Logística (CBL), em Paranaguá. (Colaborou Albari Rosa)

    Fonte: Jornal de Londrina
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00
    TV Diário
    Terça-Feira às 00h45

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Informativo Ajufe
    Setembro de 2017

    Nesta edição, os 45 anos de fundação da Associação são homenageados. Além disso, o informativo traz também as últimas atividades realizadas pela Ajufe em 2017.

    Revista Direito Federal
    Revista de Direito Federal nº 96

    Nesta 96ª edição, a Revista Direito Federal disponibiliza os trabalhos individualmente, por autor. 

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 11

    Juízes federais que escrevem além das sentenças: em verso, rima, ritmo e métrica.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org