Desembargador federal Roberto Haddad assume presidência do TRF-3

    O presidente da Ajufe, Fernando Mattos, prestigiou a solenidade de posse do novo corpo diretivo do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), realizada na última sexta-feira (19), no auditório da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo (SP). O desembargador federal Roberto Haddad, será o presidente do Tribunal, e o desembargador federal André Nabarrete, o vice-presidente. A desembargadora federal Suzana Camargo assumirá o cargo de corregedora-regional da Justiça Federal da 3ª Região.

    Em seu discurso de despedida, a desembargadora federal Marli Ferreira, agradeceu a todos que cooperaram e contribuíram com a gestão 2007/2010, afirmando que a parceria entre os magistrados, servidores, procuradores e advogados é que possibilitou os méritos alcançados. A magistrada fez um balanço de sua gestão e destacou a implantação do Gabinete da Conciliação, a assinatura de vários convênios, a informatização e a modernização dos serviços, entre outras realizações.

    Para saudar os novos dirigentes do Tribunal, foram convidados o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção de São Paulo, Luiz Flávio Borges D’Urso, a procuradora da República Laura Noeme dos Santos, representando o Ministério Público Federal, e o deputado federal Arnaldo Faria de Sá.

    Judiciário deve ser célere e seguro

    O novo presidente, desembargador federal Roberto Haddad, citou em seu discurso de posse recente pesquisa do Ipea que informa que a pobreza no Brasil poderá ser drasticamente reduzida nos próximos seis anos, alcançando indicadores sociais próximos a países desenvolvidos, caso mantenha o ritmo de desenvolvimento econômico dos últimos anos, e afirmou: “desperta assim a sociedade cada vez mais para a exigência da concretização da cidadania por meio de sistemas que mais do que garantir o direito o torne eficaz mediante um Judiciário célere, previsível e, portanto, seguro”.

    O presidente destacou os desafios enfrentados e a enfrentar “que vão desde a escassez dos recursos humanos e materiais ao complexo emaranhado das regras processuais que permitem tornar infinitos os processos”. E destacou também as conquistas: ”A criação dos Juizados Especiais, as súmulas vinculantes e os mecanismos dos recursos repetitivos. E no plano legislativo, destacou o projeto do novo Código de Processo Civil, com diminuição do número de recursos, entre outras alterações”.

    O desembargador federal Roberto Haddad ressaltou que o Judiciário tem criado métodos para o melhor escoamento do grande número de processos a ele submetidos: “O TRF-3 em suas gestões anteriores logrou reduzir grandemente o número de processos, adotando procedimentos para racionalizar o andamento e julgamento dos feitos. Está em curso também a execução do Planejamento Estratégico alinhado ao plano estratégico nacional”.

    Sobre a independência dos juízes, o presidente afirmou: “O magistrado há de manter a sua imparcialidade, colocando-se a salvo de interferências, julgando segundo seu convencimento. O magistrado tem de ser desassombrado. O êxito de sua missão reside em não se submeter a interesses outros que não a melhor aplicação do direito”.

    E, por fim, comprometeu-se como presidente, por meio de uma relação democrática e serena com os seus pares, promover todo o esforço possível para engrandecer o Tribunal”. (Clique aqui e leia a íntegra do discurso do presidente do TRF3, desembargador federal Roberto Haddad)

    Compuseram a mesa dos trabalhos: o secretário de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania, Luis Antonio Guimarães Marrey, representando o governador do Estado de São Paulo; o deputado federal Arnaldo Faria de Sá, representando a Câmara dos Deputados; o desembargador Antonio Carlos Viana Santos, presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo; o governador André Puccinelli, do Estado do Mato Grosso do Sul; o deputado estadual Fernando Capez, representando a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo; o senador Romeu Tuma; o ministro Massami Uyeda, do Superior Tribunal de Justiça; o secretário municipal de Negócios Jurídico de São Paulo, Cláudio Lembo; o desembargador Décio Sebastião Daidone, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região; a procuradora Laura Noeme dos Santos, representando a Procuradoria Regional da República da 3ª Região e o presidente da OAB/SP, Luiz Flávio Borges D’Urso.

    Diversas autoridades compareceram à cerimônia: ministros, deputados, presidentes de Tribunais, magistrados, autoridades militares e representantes do Ministério Público Federal e da advocacia.

    Texto: Letícia Capobianco com informações da Assessoria de Comunicação do TRF-3

    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 12

    Agora em formato digital, a edição reúne verdadeiros talentos da Justiça Federal, que mostram seus dons musicais, poéticos, em versos e até em fotografias.

    Agenda Político-Institucional
    Agenda Político-Institucional 2018

    O documento lançado em 2018 reúne as principais demandas legislativas, administrativas e judiciais de interesse da Ajufe, além dos projetos de integração entre associação e o cidadão. O objetivo é dar transparência à estratégia de ações da magistratura federal junto aos Três Poderes e à sociedade.

    Informativo Ajufe
    Março de 2018

    A 38ª edição do Informativo da Ajufe traz as últimas atividades realizadas pela Ajufe entre o final de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.

    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org