Jornal O Sul publica artigo do presidente da Ajufe contra críticas da OAB

    logo_sul

    O jornal O Sul também publica a reação do presidente da Ajufe, Gabriel Wedy, às críticas ao projeto de lei que fixa a revisão dos subsídios da magistratura. Na edição desta segunda-feira (6), o jornal gaúcho, traz a íntegra do artigo na primeira página do Caderno Colunistas. Leia: 

    Revisão de subsídios da magistratura não é gatilho

    Recentemente, o presidente do Conselho Federal da OAB, Ophir Cavalcante Filho, declarou que o PL 7.749/2010, que prevê a reposição inflacionária dos subsídios dos ministros do STF, seria precedente perigoso e que os juízes federais não teriam os mesmos direitos que o Ministério Público Federal, como decidido pelo Conselho Nacional de Justiça. Para completar, disse que o Poder Judiciário brasileiro apresenta características de terceiro mundo.

    Estranha-me ver que dito Senhor desconhece o texto constitucional, pois o PL 7.749/2010 apenas atende determinação Constitucional para reposição anual da inflação sobre os subsídios dos ministros do STF (art. 48, XV).

    Não traz “gatilho salarial”, nem pretende burlar o processo legislativo. É medida que apenas repõe as perdas inflacionárias, acumuladas, no caso do Judiciário Federal, há mais de cinco anos. Além disso, é moralizador pois delimita o teto remuneratório do funcionalismo público, combatendo os supersalários. Aliás, o PL 7.749/2010 atenta para a responsabilidade fiscal, vinculando a reposição inflacionária às possibilidades financeiras do Estado ao determinar que sejam observados os limites estabelecidos pelas Leis Orçamentárias  (LDO e LOA), votadas anualmente no Congresso Nacional. Repiso, isso não é um “gatilho salarial”, mas sim um freio nos gastos, o que vai ao encontro com a postura da Associação dos Juízes Federais do Brasil.

    Atualmente, os magistrados federais recebem uma remuneração líquida mensal próxima a R$ 12 mil, inferior a percebida por muitos servidores da Justiça, seus auxiliares. Essas distorções têm provocado grande insatisfação na categoria, que cogita realizar paralisações, como ocorrido na Espanha e em Portugal. Também é agente causador de outro fenômeno ainda mais grave: a evasão de magistrados para exercerem a advocacia ou outras carreiras jurídicas mais vantajosas financeiramente.

    Ainda assim, em nenhum momento os Juízes deixaram de cumprir suas relevantes funções. Atingimos as metas de produtividade do CNJ. E mais: a Justiça Federal pagou ao povo brasileiro, desde 2002, pelos seus Juizados, mais de R$ 18 bilhões em benefícios previdenciários, auxiliando oito milhões de cidadãos.

    Sem falar que os juízes federais têm atuado de forma firme contra os “criminosos do colarinho branco”, evitando que a sociedade seja vítima desses crimes nefastos. Isso tem feito com que as garantias constitucionais como irredutibilidade de vencimentos e vitaliciedade sejam golpeadas por interesses escusos de quem quer fragilizar o trabalho exercido de forma exemplar pelos Juízes Federais. A intimidação vem inclusive na forma de atentados, como os três ocorridos nas últimas semanas.

    Quanto à equiparação com o MPF, o representante da OAB equivoca-se ainda mais ao criticar um preceito que está previsto na Carga Magna. A simetria não causará nenhum impacto orçamentário, pois a Justiça Federal é superavitária há muitos anos, diante das grandes somas arrecadadas pelas Varas de Execução Fiscal.

    Não temos, portanto, um Judiciário terceiro-mundista. O Brasil vive há 25 anos regime democrático e de respeito às garantias fundamentais, fruto das conquistas da sociedade. Tamanha solidez institucional só foi possível com o cumprimento das leis e da Constituição Federal, para cuja ocorrência o Judiciário muito contribuiu.

    A verdade precisa ser dita, o Judiciário merece respeito pelo que faz na busca de um Brasil mais ético, transparente, democrático e republicano.

    Gabriel Wedy

    Presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil [AJUFE]

    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 12

    Agora em formato digital, a edição reúne verdadeiros talentos da Justiça Federal, que mostram seus dons musicais, poéticos, em versos e até em fotografias.

    Agenda Político-Institucional
    Agenda Político-Institucional 2018

    O documento lançado em 2018 reúne as principais demandas legislativas, administrativas e judiciais de interesse da Ajufe, além dos projetos de integração entre associação e o cidadão. O objetivo é dar transparência à estratégia de ações da magistratura federal junto aos Três Poderes e à sociedade.

    Informativo Ajufe
    Março de 2018

    A 38ª edição do Informativo da Ajufe traz as últimas atividades realizadas pela Ajufe entre o final de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.

    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org