Jornal do Commercio publica defesa dos magistrados pela aposentadoria integral

    Jornnal_commercioO Jornal do Commercio publicou ontem (19) matéria sobre o seminário Justiça Previdenciária, na qual as associações de magistrados divulgaram uma carta em prol da previdência pública. A matéria cita discurso do presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Gabriel Wedy, que defendeu, durante o evento, a previdência pública integral para os juízes e queixou-se do que chamou de "proletarização da magistratura", onde juízes perdem prerrogativas e recebem salário inferior a seus subordinados hierárquicos.

    Segundo Wedy, "11% dos subsídios dos juízes são descontados em folha para custear a previdência pública, sendo o sistema, portanto, superavitário".

    O que acontece atualmente, salientou o presidente da Ajufe, "é que ao longo dos anos foram desviados recursos previdenciários para custear marketing de governo, a construção de estradas e a construção de Brasília. Ou seja, houve um desvirtuamento da real aplicação desses recursos. Por isso defendemos a previdência pública, pois ela é importante como garantia da independência da magistratura, que se traduz em benefícios à própria sociedade".

    Leia a íntegra da matéria:

    Magistrados defendem aposentadoria integral


    Em evento sobre Justiça Previdenciária em Porto Alegre, entidades que representam juízes divulgam carta em prol da previdência pública

    A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris), a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e o Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) são contrários ao que chamam de desmonte da Previdência Pública e à implementação do Regime de Previdência Privada Complementar. A manifestação foi feita na Carta da Previdência, divulgada no fim do Seminário Justiça Previdenciária - Os Rumos da Previdência Pública Brasileira, realizado em Porto Alegre.

    Segundo as entidades de classe, o sistema não assegura um benefício futuro equivalente à remuneração em atividade, e expõe os servidores e os membros integrantes das carreiras típicas do estado, bem como seus dependentes, aos riscos do mercado financeiro. Durante dois dias, cerca de 200 pessoas, entre magistrados, especialistas e autoridades, estiveram reunidos no hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre (RS), para acompanhar painéis sobre a Justiça Previdenciária brasileira.

    Durante o evento, o presidente da Ajufe, Gabriel Wedy, defendeu a previdência pública integral para os juízes e queixouse do que chamou de "proletarização da magistratura", onde juízes perdem prerrogativas e recebem salário inferior a seus subordinados hierárquicos. Segundo Wedy, "11% dos subsídios dos juízes são descontados em folha para custear a previdência pública, sendo o sistema, portanto, superavitário".

    O que acontece atualmente, salientou o presidente da Ajufe, "é que ao longo dos anos foram desviados recursos previdenciários para custear marketing de governo, a construção de estradas e a construção de Brasília. Ou seja, houve um desvirtuamento da real aplicação desses recursos. Por isso defendemos a previdência pública, pois ela é importante como garantia da independência da magistratura, que se traduz em benefícios à própria sociedade".

    CONGRESSO. De acordo com o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Mozart Valadares, "temos que nos preparar para uma discussão que haverá no Congresso Nacional, independentemente de quem ganhe as eleições presidenciais. Por isso a importância desse encontro, para que se discuta e se leve propostas concretas, com um debate transparente e honesto, para mostrar o acerto da manutenção da previdência pública, que é uma garantia da sociedade brasileira". Ainda segundo Valadares, "esse estudo preliminar mostrará que o defeito da previdência não está no pagamento dos benefícios dos servidores públicos, mas na má gestão dos recursos".

    No fim do evento, o presidente da Ajuris, João Ricardo dos Santos Costa, que estava ao lado do representante da presidência da AMB, o juiz Wilson da Silva Dias, agradeceu a todos os participantes do evento e falou do compromisso que a magistratura firmou de somar esforços na luta pela previdência pública. "É a continuação de uma luta importante, histórica, permanente em prol da nossa dignidade e da solidariedade. Trouxemos aqui no seminário pessoas com alto conhecimento, para mostrar aos participantes a importância da questão previdenciária", disse.

    Siga-nos no Twitter: http://twitter.com/AJUFE_Brasil
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 12

    Agora em formato digital, a edição reúne verdadeiros talentos da Justiça Federal, que mostram seus dons musicais, poéticos, em versos e até em fotografias.

    Agenda Político-Institucional
    Agenda Político-Institucional 2018

    O documento lançado em 2018 reúne as principais demandas legislativas, administrativas e judiciais de interesse da Ajufe, além dos projetos de integração entre associação e o cidadão. O objetivo é dar transparência à estratégia de ações da magistratura federal junto aos Três Poderes e à sociedade.

    Informativo Ajufe
    Março de 2018

    A 38ª edição do Informativo da Ajufe traz as últimas atividades realizadas pela Ajufe entre o final de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.

    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org