Centrais ameaçam ir à Justiça se governo não negociar mínimo

    BRASÍLIA (Reuters) - As centrais sindicais pretendem recorrer à Justiça na próxima terça-feira se o governo não abrir negociações, até segunda, com relação ao salário mínimo, ao reajuste dos aposentados, e à correção na tabela do Imposto de Renda, disse nesta quarta-feira o deputado Paulo Ferreira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical.

    Paulinho, que preside a Força Sindical, reuniu-se pela manhã no Palácio do Planalto com o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, para apresentar a pauta de reivindicações.

    As centrais querem que o governo aumente o salário mínimo para 580 reais, reajuste de 10 por cento para os aposentados, e a correção "pelo menos equivalente à inflação" da tabela do Imposto de Renda. O Orçamento para este ano foi aprovado com um piso de 540 reais.

    Paulinho disse que se as conversas não começarem diretamente com a presidente Dilma Rousseff ou com um ministro designado por ela até segunda-feira, na próxima terça todas as centrais procurarão a Justiça Federal nos Estados para mover ações contra o governo por conta da não correção da tabela do IR.

    "Se eles não corrigirem, isso é um confisco. Queremos pelo menos a correção de 6,43 por cento referente ao INPC", disse Paulinho a jornalistas ao deixar o Palácio do Planalto.

    O deputado avalia que o governo vai perder no Congresso quando for votar a medida provisória que fixa o mínimo em 540 reais.

    "Existe uma insatisfação da base com relação a cargos", disse ele fazendo referência aos recentes atritos entre o PT e o PMDB para nomeação de vagas para o segundo escalão do governo.

    O governo vem argumentando que fixou o salário em 540 em respeito ao acordo informal que já fez com as centrais, que estabelece uma fórmula de cálculo dos ajuste considerando a inflação, e o crescimento do PIB de dois anos antes.

    Paulinho, entretanto, argumentou que o acordo com o governo tem uma cláusula que prevê uma revisão dos termos a cada quatro anos, e segundo ele, esse prazo venceu em dezembro do ano passado.

    As centrais sindicais reuniram-se na terça-feira em São Paulo para discutir o salário mínimo e, segundo o sindicalista, já enviaram uma carta a Dilma com as reivindicações.

    Fonte: O Globo
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 12

    Agora em formato digital, a edição reúne verdadeiros talentos da Justiça Federal, que mostram seus dons musicais, poéticos, em versos e até em fotografias.

    Agenda Político-Institucional
    Agenda Político-Institucional 2018

    O documento lançado em 2018 reúne as principais demandas legislativas, administrativas e judiciais de interesse da Ajufe, além dos projetos de integração entre associação e o cidadão. O objetivo é dar transparência à estratégia de ações da magistratura federal junto aos Três Poderes e à sociedade.

    Informativo Ajufe
    Março de 2018

    A 38ª edição do Informativo da Ajufe traz as últimas atividades realizadas pela Ajufe entre o final de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.

    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org