Ex-deputado fica preso em Umuarama (PR)

    O minipresídio da 7ª Subdivisão Policial (7ª SDP) recebeu esta semana um detento inusitado. Nilton Cezar Servo, 56, - ex-deputado que possuí uma extensa ficha criminal - estava preso numa das celas mais seguras da cadeia pela alta periculosidade que representava. Transferido para a cidade a pedido da Polícia Federal de Guaíra, Servo passou mal, foi hospitalizado e precisou ser transferido na tarde de ontem (27) para Curitiba.

    Contra Servo pesa um processo de meados de 2010, da 2ª Vara Criminal Federal de Umuarama. O procedimento que corre em segredo de Justiça, aponta-o como chefe da máfia dos caça-níqueis do Mato Grosso do Sul.

    O ex-deputado foi preso em 19 de dezembro de 2010 num sítio em Aquidauana (MS) por policiais militares da Rotai (Rondas Ostensivas Táticas do Interior). De acordo com a polícia, ele estava foragido da Justiça Federal do Paraná, e tinha mandado de prisão em aberto pelos crimes de contrabando e formação de quadrilha. Desde então, Servo passou por uma série de transferências.

    "Ele foi removido para Guaíra, mas como o processo é de Umuarama pedimos ao delegado que o acolhesse ai [Umuarama]. Como ele precisa de atendimento médico, ele foi removido para o hospital penitenciário, em Curitiba e, quando se curar provavelmente será transferido novamente", explicou o delegado da Polícia Federal (PF) de Guaíra, Ricardo Cubas.

    Nilton Servo havia sido preso pela última vez em junho de 2010, por exploração do jogo ilegal. A prisão foi em Ponta Grossa (PR). Na ocasião, ele era suspeito de ser dono de bingos na cidade e teria mandado um funcionário atear fogo em uma casa de jogos de um grupo concorrente, na cidade de Paranavaí (PR).

    Em 2007, Nilton Servo foi alvo da Operação Xeque-Mate, que prendeu centenas de pessoas em Mato Grosso do Sul, acusadas de envolvimento com a jogatina. Ele é acusado de ser um dos chefes da máfia no Estado. Em julho de 2009, ele voltou a ser preso durante Operação Bituca, coordenada pela Delegacia da Polícia Federal de Guaíra (PR). Desta vez, acusado de chefiar uma organização criminosa responsável por contrabando e descaminho de cigarros.

    Histórico


    Nilton Servo foi deputado estadual entre 1991 e 1995 e suplente de um deputado federal do Mato Grosso do Sul.

    Além de ter sido deputado estadual no Paraná na legislatura de 1991 a 1995, Servo foi candidato a prefeito de Maringá em 1996, mas não foi eleito. Em 1998, candidatou-se a senador e novamente não teve sucesso. Já em 2002 obteve 12 mil votos como candidato a deputado estadual, mas novamente não foi eleito.

    A última campanha mal sucedida foi para o cargo de prefeito na cidade de Sorriso/MT.

    Ele havia sido preso em junho de 2007 pela Polícia Federal, em Uberlândia (MG), acusado de comandar a "máfia dos caça-níqueis" no Brasil.

    Depois disso, Servo voltou a ser preso em julho de 2009, em Uberlândia (MG). O ex-deputado foi acusado de chefiar uma organização criminosa responsável por contrabando e descaminhos de cigarros estrangeiros. A prisão ocorreu durante a Operação Bituca, que foi coordenada pela Delegacia da Polícia Federal de Guaíra.

    Fonte: Umuarama Ilustrado
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 12

    Agora em formato digital, a edição reúne verdadeiros talentos da Justiça Federal, que mostram seus dons musicais, poéticos, em versos e até em fotografias.

    Agenda Político-Institucional
    Agenda Político-Institucional 2018

    O documento lançado em 2018 reúne as principais demandas legislativas, administrativas e judiciais de interesse da Ajufe, além dos projetos de integração entre associação e o cidadão. O objetivo é dar transparência à estratégia de ações da magistratura federal junto aos Três Poderes e à sociedade.

    Informativo Ajufe
    Março de 2018

    A 38ª edição do Informativo da Ajufe traz as últimas atividades realizadas pela Ajufe entre o final de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.

    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org