Justiça Federal recebe denúncia contra ex-prefeito de Miracema (TO)

    A Justiça Federal, Seção Judiciária do Tocantins, recebeu denúncia contra o ex-prefeito de Miracema do Tocantins (2001/2004), Rainel Barbosa Araújo, e determinou diligências para autuação Penal. A acusação do MPF (Ministério Público Federal) é de que o denunciado teria agido de forma livre e consciente ao aplicar indevidamente recursos públicos federais transferidos ao município de Miracema, por meio do Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA), em 2003.  

    Após ser notificado, o denunciado não apresentou sua defesa preliminar, razão pela qual foi nomeada a Defensoria Pública da União. Entre os argumentos da defesa, destacam-se a incompetência da Justiça Federal, a violação ao direito de escolha de seu defensor e a ausência de interesse de agir.

    Entretanto, conforme a decisão do titular da 2ª Vara, o juiz federal José Godinho Filho, os delitos descritos na denúncia têm como vítima a União, pois os recursos disponibilizados ao município de Miracema do Tocantins são oriundos do Programa de Educação de Jovens e Adultos, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Por isso, o magistrado rejeitou a preliminar suscitada, confirmando a competência da Justiça Federal para processar e julgar o feito.

    Sobre o argumento de que o denunciado teria tido o direito de escolha de seu defensor violado, o juiz federal José Godinho fundamenta sua decisão no fato de que o acusado foi notificado pessoalmente, não tendo apresentado defesa preliminar no prazo legal. Para o magistrado, o denunciado teve a oportunidade de escolher seu defensor, mas preferiu permanecer inerte.

    A Justiça Federal, Seção Judiciária do Tocantins, também rejeitou o argumento do denunciado quanto à ausência de interesse de agir do MPF. Conforme o denunciado, pelo tempo decorrido entre a data do fato e o recebimento da denúncia, em caso de condenação, o crime estaria prescrito. Entretanto, a Justiça Federal também rejeitou a preliminar, baseada na Súmula 438, do STJ, 'É inadmissível a extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva com fundamento em pena hipotética, independentemente da existência ou sorte do processo penal'.

    Fonte: JFTO
    Programa
    TV Justiça
    Sábado às 16:30 Oi 21 | CLARO 05 | SKY 24 | NET 26 | VIVO/GVT 232
    Reprise:
    Segunda 11:00 | Quarta 11:00 | Sexta 11:00 | Domingo 15:00

    Boas Práticas na Justiça

    Cadastro

    Seja um Associado da Ajufe!

    Revista de Cultura
    Revista de Cultura nº 12

    Agora em formato digital, a edição reúne verdadeiros talentos da Justiça Federal, que mostram seus dons musicais, poéticos, em versos e até em fotografias.

    Agenda Político-Institucional
    Agenda Político-Institucional 2018

    O documento lançado em 2018 reúne as principais demandas legislativas, administrativas e judiciais de interesse da Ajufe, além dos projetos de integração entre associação e o cidadão. O objetivo é dar transparência à estratégia de ações da magistratura federal junto aos Três Poderes e à sociedade.

    Informativo Ajufe
    Março de 2018

    A 38ª edição do Informativo da Ajufe traz as últimas atividades realizadas pela Ajufe entre o final de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.

    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org