Em dois anos, Alexandre de Moraes reduz acervo de processos em quase 80%

    Matéria originalmente publicada pelo Conjur, escrito por Gabriela Coelho.

    Em dois anos, o ministro Alexandre de Moraes reduziu o acervo que encontrou no gabinete em quase 79,9%. Quando tomou posse, no dia 23 de março de 2017, encontrou 6,9 mil processos pendentes, deixados pelo ministro Teori Zavascki, morto em janeiro daquele ano. Terminou maio deste ano com 1,3 mil ações por julgar, conforme relatório sobre as atividades do gabinete, divulgado pelo ministro nesta segunda-feira (3/6).

    De acordo com relatório, o ministro tomou 17.204 processos, sendo 13.531 recursos e 3.673, ações originárias.

    “Nesse mesmo período, foram julgados 2.243 processos, chegando-se ao acervo atual de 180 habeas corpus e recursos ordinários em habeas corpus. O resultado apresentado somente foi possível graças à lealdade, à competência e ao esforço de toda a equipe”, afirma o ministro.

    Alexandre também reduziu o acervo de ações de controle de constitucionalidade. Eram 208 quando chegou e hoje são 144, das quais 92 estão prontas para julgamento, aguardando pauta.

    Para o ministro, seu primeiro biênio de Supremo foi marcado por metas alcançadas. Ele foi indicado ao cargo pelo presidente Michel Temer em fevereiro de 2017, para ocupar a cadeira de Teori.

    Clique aqui para ler o relatório completo.

    Tags:
    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org